Bolsa biscoito da sorte!

A queridinha do momento

071116-bolsa-biscoito-sorte-hearst-01-590x545

Esta bolsa tem centenas de pessoas na lista de espera para comprá-la.

A peça criada por Gabriela Hearst, esposa de Austin Hearst (da família magnata das publicações – Austin é neto do patriarca William Hearst), tem o formato de um biscoito da sorte chinês e já foi elogiada até pelo chefe de design da Apple! Batizada de Nina, em homenagem à Nina Simone, a bolsa teve inicialmente 20 unidades produzidas e foi dada de presente a amigos influentes da designer. Ao que tudo indica a estratégia de marketing deu certo: a Nina pipocou pelo Instagram e se tornou febre!

Ela já apareceu nos braços de Demi Moore e Brie Larson

No entanto, não são só os influencers que contribuem pra criar esta aura de desejo ao redor da bolsa. Comprála não também é uma tarefa muito simples! Além da lista de espera com centenas de nomes, a peça, que custa a partir de US$ 1.995 (R$ 6.372), não é vendida em loja, seja online ou física. Quem quiser tem que encaminhar um pedido pro e-mail da marca– tipo “super exclusivo”!

Fonte. blog Lilian Pacce

Anúncios

Moda:color block,camisa listrada e estampa étnica são apostas para o verão 2017

balenciaga-rs17-3483

No mundo da moda, tendências vão e volta. Tanto é que pro verão 2017, o color block volta com tudo, graças aos estilistas da Balenciaga, Céline e Olympia Le-Tan. As três grifes desfilaram a tendência na Semana de Moda de Paris, com opções de looks pro dia e noite. Confira mais apostas da temporada abaixo:

Camisa listrada

camisa-listrada

Clássica, a camisa listrada nunca pode faltar no guarda-roupa. Mas nada de cair na mesmice! A peça de alfaiataria ganhou um styling mais descolado em Paris. Na Balenciaga, foco nas botas acima dos joelhos com um cinto grosso statement. Na Sacai, a camisa virou vestido (outra tendência, fica a dica), e no desfile da Stella McCartney listras se misturam com poá, outra estampa curinga. Aliás, prints clássicos sempre combinam – ficaria lindo, também, se a camisa fosse toda de poá e a calça listrada.

Influência étnica

etnico

Impressionante a força da estampa étnica! Já pode chamar de curinga, viu? Faz muito tempo que a tendência bate ponto em coleções de top grifes e fast fashion. Em Paris, deu o ar da graça na Acne Studios, Sacai e Stella McCartney.

Fonte:http://revistaglamour.globo.com/

 

Pas de deux: balé inspira e traz delicadeza à moda nesta estação

A começar pela sapatilha da Valentino que promete ser a it-flat da temporada, o balé inspira e traz delicadeza à moda nesta estação

valentino

Un, deux, trois; un, deux, trois… A contagem em francês que dá o ritmo das aulas de balé promete reger também o closet das fashionistas nesta temporada, graças a grifes que elegeram a delicadeza da dança como o statement da vez na moda. Collants, tutus e produções leves tingidas de tons de nude e rosa invadiram as coleções internacionais para o inverno 2016/17, em looks que exploram também as interessantes sobreposições feitas pelas bailarinas a caminho dos ensaios, com seus casaquetos e leggings.

Enquanto Bill Gaytten, à frente da John Galliano, combinou saias de tule com casacos militares e botas que pareciam saídas de um ringue de boxe, Carolina Herrera enxugou a silhueta clássica do balé, apostando em vestidos lânguidos de organza plissados e enfeitados com bordados high-tech.

Mas vem da Valentino o acessório hit para incorporar à tendência: uma sapatilha de couro disponível nas versões preta e nude (já à venda nas quatro lojas brasileiras da marca) que se inspira no modelo utilizado nas aulas e vem decorada com os spikes característicos dos acessórios da grife italiana. Pontuando 18 looks do desfile de inverno da marca, que aconteceu ao som de John Cage e Philip Glass, tocados ao vivo por um pianista, a peça não faz bonito apenas combinada aos belos vestidos festivos inspirados nos balés russos que cruzaram a passarela: a sapatilha deluxe, que promete ser o flat-desejo da vez, traz delicadeza e elegância também aos passos do dia a dia.

 

Lavanda a cor do próximo inverno

lavanda-hominha

A semana de Alta-Costura de Paris começou no domingo (3) e algumas tendências já despontam como favoritas para o outono-inverno 2016-2017. A cor lavanda é uma das preferidas das maisons nesta temporada.

A tonalidade suave pode ser usada com certa transparência e o look monocromático é uma boa pedida. Se você não se sentir tão segura para apostar somente nesta cor, escolha usar a lavanda em detalhes, como rendas e aplicações. Sempre em tecidos finos e suaves, acompanhando a delicadeza do tom pastel.

As capas de lavanda surgem como uma boa opção para sair do tradicional preto. E por que não um vestido sensual, de fendas, com esta cor tão delicada? Atelier Versace apostou nesta combinação sexy-romântica.

lavanda-hominha2

Fonte:http://revistamarieclaire.globo.com/

As cinco maiores revoluções da história da moda

Curiosidade pura!

Yves Saint Laurent, Coco Chanel e Mary Quant são nomes que cravaram sua importância na história da moda com criações que revolucionaram a forma de vestir. E se você pode sair na rua usando calças ou minissaias tranquilamente, agradeça a eles. Entre tantas fases, a evolução da indumentária teve seus momentos de glória

Confira abaixo as principais revoluções fashion de todos os tempos.

                         BIQUINI

louis

 

Ele foi a primeira peça de roupa feminina confeccionada com menos de um metro de tecido e seu lançamento foi tão explosivo quanto a bomba atômica testada pelos Estados Unidos no Atol de Bikini em 1946, o que acabou dando nome ao traje de banho. Alguns dias após o episódio, o francês Jacques Heim elaborou o “atome”, apresentado-o como “o menor maiô do mundo”. Mas ele bobeou e esqueceu-se de registrar a invenção – abrindo espaço para que outro francês, Louis Réard, surgisse com o “bikini, menor que o menor maiô do mundo” e levasse toda a fama de criador do famoso biquíni.

MINI SAIA

mini-saias-anos-60-2

Nem precisava, mas a estilista Mary Quant deu mais um toque de revolução aos anos 60 quando passou a mão na tesoura e criou a ousada minissaia. O pedaço de pano de 30cm lançado em meio ao “Terremoto Jovem” causou reboliço entre os conservadores, mas se multiplicou pelos armários das meninas. O sucesso foi tanto que a butique de Mary em Londres, a Bazaar, ganhou mais de 100 filiais e se transformou em símbolo de vanguarda.

SMOKING FEMININO

saintlaurent_smoking

Supra-sumo da carreira de Yves Saint Laurent, o famoso terninho – ou “Le Smoking”, como foi chamado o primeiro modelo – foi criado pelo estilista francês em 1966 e transgrediu a forma como as mulheres se vestiam à época. Sinal de liberdade e novos conceitos sobre masculino e feminino, o smoking para mulheres foi apresentado pela primeira vez com uma blusa transparente e calça masculina. Hoje, a peça aparece até em tapetes vermelhos.

CALÇA PARA MULHERES

1003643_437586169670410_2001751320_n1

Se Yves Saint Laurent era do clubinho da igualdade dos sexos, Coco Chanel foi quem o fundou. Na década de 20, com sua conhecida queda pela praticidade, a estilista desenhou a primeira calça para mulheres e deu um “chega pra lá” nos longos vestidos e corpetes que dominavam os armários naquele tempo.Inspirado nos marinheiros, o primeiro modelo era largo e ideal para as moças acompanharem seus maridos em dias de cavalgada ou iatismo

NEW LOOK

newlook

No pós-guerra, Christian Dior fez o caminho inverso ao de Chanel e devolveu a feminilidade às mulheres. “Nós saímos de uma época de guerra, de uniformes, de mulheres-soldados, de ombros quadrados e estruturas de boxeador. Eu desenho femmes-fleurs, de ombros doces, bustos suaves e cinturas marcadas (…)”, disse o estilista. Nascia então, em 1947, o New Look, um visual delicado de cintura marcada e saias amplas até o tornozelo. O New Look se estabeleceu como o padrão de glamour dos anos 50 e deu um banho de elegância nas moçoilas.

Fonte: http://gnt.globo.com/